#Crescer e Aprender

Como ensinar a criança a manter o quarto arrumado

Rotina é a palavra-chave para criar o hábito de arrumar após as brincadeiras

A cena é comum: após brincar, a criança deixa o espaço como se tivesse acabado de passar um furacão. Papais e mamães olham sem saber o que fazer. Ensinar o pequeno a manter seu quarto arrumado, a organizar os brinquedos após a brincadeira e a organizar o material da escola é um desafio. No entanto, algumas dicas podem ajudar nesse processo.

Ser criança sem tanta bagunça

A criança não é naturalmente bagunceira. De acordo com o livro “Meu Filho é uma Bagunça”, escrito pela psicoterapeuta e consultora educational Marcella Moran e pelo neurologista infantil Martin Kutscher, ela precisa aprender a se organizar, pois a parte do cérebro responsável pelo planejamento e organização, o lobo frontal, ainda está se desenvolvendo.

Por isso, o primeiro passo é criar uma rotina com a criança. Assim, ela entende as inúmeras tarefas com mais facilidade e, depois de um tempo, já é capaz de agir por conta própria. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos lista alguns pontos considerados chaves para criar uma rotina estruturada com as crianças. São eles:

  • Consistência e previsibilidade;
  • Dar possibilidades de escolha;
  • Responder ao comportamento da criança sempre do mesmo jeito;
  • Recompensar a criança sempre que a rotina for bem seguida.

Os pais devem observar qual tipo de rotina se adapta melhor para cada pequeno, para que o processo não seja imposto mas natural. Por exemplo, quando a criança notar que encontra os brinquedos com mais facilidade, ela mesma perceberá que a organização está ajudando e se sentirá incentivada a continuar.

O papel dos pais

Recompensar cada atividade bem feita, portanto, é importante desde a infância. Por meio do incentivo positivo, a criança percebe que está agindo corretamente. Isso significa reagir positivamente ao comportamento adequado, como dar atenção, abraços e beijos quando ela terminar de arrumar os brinquedos. Você também pode recompensá-la de outras formas, como permitir que leia dois ou três livros antes de dormir ou que leve mais de um bichinho de pelúcia para a cama.

No entanto, valorizar as condutas corretas não significa condicioná-la a esperar sempre uma recompensa por cada atitude positiva, como dar um presente. Isso, consequentemente, implicaria em outros problemas, como adotar certo comportamento apenas pela recompensa material. O objetivo é fazê-la compreender que suas atitudes têm consequências. Assim, os reforços devem vir depois das ações, nunca antes, e é fundamental que tudo isso passe pelo diálogo.

Além disso, é importante mostrar que os adultos também se organizam, guardando itens após o uso. As crianças agem muito observando os pais e costumam “copiá-los”. Educar o seu pequeno, portanto, também significa adotar para si mesmo comportamentos que irão influenciar a forma como que ele vai se relacionar com o mundo e com as outras pessoas.

É preciso paciência

Caso a criança demore a criar sua rotina e a ser organizada, não perca a paciência. Alguns pequenos precisam de mais tempo do que outros e o primeiro caminho para a educação deve ser sempre o diálogo.

É importante resistir ao impulso de arrumar os brinquedos da criança no lugar dela. Ela pode ficar confusa com o processo e achar que, caso não faça alguma tarefa, terá sempre alguém para fazer em seu lugar.

A partir dos dois anos, seu filho já pode começar a guardar os próprios brinquedos. Nessa idade, ele também pode ajudar a colocar as roupas e livros no lugar. Portanto, crie uma rotina de arrumação, converse sobre suas obrigações e dê o bom exemplo. No futuro, será um adulto mais organizado.

Referências: Centers for Disease Control and Prevention (“Creating Structure and Rules”), Raising Children Australia (“Household Chores for Children”)